sábado, 18 de abril de 2015

VEREADORES DEVERIAM PRESTAR QUEIXA DE DESAPARECIMENTO DA PREFEITA DE GUARUJÁ!

PROCURA-SE A PREFEITA DE GUARUJÁ NA PREFEITURA TRABALHANDO!
APÓS QUATRO DIAS, COMISSÃO DE VEREADORES NÃO ENCONTRA A PREFEITA MARIA ANTONIETA DE BRITO (PMDB) NO PAÇO MUNICIPAL. VEREADORES PODERIAM PRESTAR QUEIXA NA DELEGACIA DE DESAPARECIDOS OU EMITIR UMA JUSTA CAUSA POR RECEBER E NÃO APARECER PARA TRABALHAR, NÃO É SENHORES VEREADORES?


GOVERNO MARIA DE BRITO: "QUEM CONHECE, NÃO CONFIA!"

sexta-feira, 17 de abril de 2015

GUARDAS MUNICIPAIS RECLAMAM DA FALTA DE PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS.

CONFUSÃO ENVOLVENDO VIGIAS MARCA REUNIÃO COM A PREFEITURA DE GUARUJÁ
TRABALHADORES FICARAM INSATISFEITOS COM POSTURA DO SINDICATO. GUARDAS MUNICIPAIS RECLAMAM DA FALTA DE PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS.



Guardas municipais e vigias de Guarujá, no litoral de São Paulo, tentam negociar com a prefeitura o salário e outros benefícios das categorias. O resultado de uma reunião nesta sexta-feira (17) não agradou os trabalhadores e houve confusão. Segundo eles, o sindicato não teve uma postura firme para defendê-los diante da administração municipal.

Por volta das 9h, os guardas municipais e vigias já estavam na frente da prefeitura aguardando o resultado da reunião que discutiu as reivindicações das categorias. No entanto, quando o representante do sindicato desceu para conversar com os trabalhadores, começou a confusão.

Na opinião do advogado dos vigias, José Francisco Paccillo, o sindicato foi contra o desejo dos trabalhadores. “O próprio sindicato inviabilizou a entrada dos vigilantes na reunião, marcada há muito tempo com a prefeita. Chegamos cedo e fomos impedidos de entrar. Hoje, existe uma preocupação grande da categoria em relação à representação do sindicato”, explica.

O vigilante Márcio Rodrigues Chaves reforça o coro das reclamações. “A gente reivindica os mesmos direitos da Guarda Municipal. Queremos promoção horizontal e equiparação salarial. Diferença de horário de escala também”, diz. Os guardas municipais também protestaram nesta sexta-feira, insatisfeitos com a falta de pagamento de benefícios.

Em nota, a prefeitura informa que, na reunião, seriam avaliadas as reivindicações e o governo municipal apontaria o que seria possível ser feito agora e o que seria necessário estudos.  A administração ressalta que respeita a legitimidade dos sindicalistas, porém, algumas pessoas que não são representantes legítimos da categoria queriam participar da reunião, e não foi possível prosseguir com as discussões. A Secretaria de Administração afirma que vai marcar uma nova data para dar sequência aos estudos e garantir os avanços das cláusulas sociais, sem que haja prejuízo às categorias que já estavam agendadas para esta sexta-feira.


O Sindicato dos Servidores Públicos de Guarujá (Sindiserv) afirma que, primeiro, o sindicato quer negociar com a prefeitura até a exaustão. Se não houver acordo, a entidade fará uma manifestação e poderá até entrar na Justiça.

Fonte: G1/Santos

PACIENTES DENUNCIAM ESPERA DE 6 HORAS POR ATENDIMENTO EM PS DE VICENTE DE CARVALHO.

PACIENTES DENUNCIAM ESPERA DE 6 HORAS POR ATENDIMENTO EM PS DE VICENTE DE CARVALHO.
MAIS DE 30 PESSOAS AGUARDAM POR ATENDIMENTO DESDE O INÍCIO DESTA MANHÃ



Demora no atendimento e falta de médicos são os problemas relatados na tarde desta sexta-feira (17) por pacientes que esperavam por atendimento no Pronto Socorro de Vicente de Carvalho, em Guarujá.

Segundo apurou A Tribuna On-line, cerca de 30 pessoas aguardavam para serem chamadas na recepção da unidade.

Um dos pacientes que denunciaram a demora é Antonio Carlos dos Santos, de 51 anos. Ele contou que, por volta das 15 horas, aguardava por um clínico geral. "Estou aqui desde às 10 horas esperando uma consulta, mas até agora não fui atendido". Antonio disse que apresenta coceira e caroços pelo corpo e, que precisava de atendimento.

Outro caso é o de Francisco da Silva, de 60 anos, que também esperava por um clínico geral. O paciente reclamava de muitas dores no corpo devido a uma infecção. "Estou aqui desde às 9h30, o pronto socorro está cheio, ninguém dá satisfação sobre a falta de atendimento" comenta.

Resposta

A Diretoria de Urgência e Emergência esclarece que a Unidade de Pronto Atendimento – UPA São João, atendeu nesta sexta-feira (16) com dois plantonistas. Uma médica teve que acompanhar um paciente na remoção, por isso o atendimento ficou acumulado por determinado período. Por volta das 16 horas, o atendimento estava normalizado e contava com 14 pacientes na espera.

A informação sobre unidade fechar no sábado não procede, estão escalados plantonistas para o dia e a noite (quatro profissionais em cada plantão).


Fonte: A Tribuna On-Line

GUARDAS MUNICIPAIS PROTESTAM EM FRENTE À PREFEITURA DE GUARUJÁ

GUARDAS MUNICIPAIS PROTESTAM EM FRENTE À PREFEITURA, EM GUARUJÁ.
ELES REIVINDICARAM O PAGAMENTO DE ADICIONAIS NOTURNOS, ASSIM COMO DE FERIADOS E FINAIS DE SEMANA



Dezenas de agentes da Guarda Civil Municipal fizeram um protesto em frente à Prefeitura de Guarujá, na manhã desta sexta-feira (16). Eles reivindicam o pagamento de adicionais noturnos, assim como de feriados e finais de semana. Segundo a categoria, uma reunião deve acontecer até quarta-feira (22).

De acordo com Wagner de Almeira Demétrio, a Executivo não paga de acordo com o que a corporação trabalha. "Queremos o que é regido pelo estatuto, que reconheçam o que está no estatuto".

O agente entende que houve um avanço na negociação e descarta uma paralisação até quarta-feira. "Não vamos prejudicar a população".

Prefeitura

Através de um comunicado, a Prefeitura de Guarujá afirma que criou grupos de trabalho que envolvem secretarias e segmentos do funcionalismo público para tratar das cláusulas sociais referentes aos pedidos contidos na proposta de reajuste salarial, já aprovada pelo Legislativo, apresentadas pelos sindicatos dos Funcionários Públicos da Prefeitura (Sindserv), dos Professores de Escolas Públicas Municipais (Siproem).

As cláusulas sociais são ajustes que devem ser feitos, regulamentados ou ampliados, e não geram um desembolso imediato por parte dos empregadores, como abono de faltas, condições de segurança e higiene do trabalho, adequações a plantões de escalas, entre outros.

Desde o início desta semana, essas comissões têm realizado reuniões no Paço Municipal, com os membros de cada segmento do funcionalismo, de forma a ouvir os anseios e principais pedidos da categoria. Essas reivindicações somariam ao aumento no salário base de 7,14%, mais 8,33% no auxilio alimentação e 10% no salário consorte (incluindo relações homoafetivas) e 50% no salário família.

Já ocorreram reuniões com as seguintes secretarias, grupos e segmentos: Educação, Fiscalização, Previdência e Saúde. Os encontros são destinados somente aos servidores envolvidos diretamente no pleito. Nesta sexta-feira (17), a reunião foi com os servidores da Defesa e Convivência Social, que compreende os agentes de trânsito, guardas civis municipais, além dos vigias.
Os encontros continuam na próxima semana, com a categoria da Assistência Social, agentes de serviços gerais, escriturários, auxiliar administrativo, condutores de veículos, entre outros.

Fonte: A Tribuna On-Line.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

INCÊNDIO ATINGE PELO MENOS 11 QUIOSQUES EM PRAIA DE GUARUJÁ

INCÊNDIO ATINGE PELO MENOS 11 QUIOSQUES EM PRAIA DE GUARUJÁ
SEGUNDO O CORPO DE BOMBEIROS, FOGO COMEÇOU POR VOLTA DAS 13H40. NINGUÉM FICOU FERIDO NO ACIDENTE, AFIRMA A CORPORAÇÃO.



Pelo menos 11 quiosques pegaram fogo, no começo da tarde desta segunda-feira (6), na orla da Praia da Enseada, em Guarujá, no litoral de São Paulo. De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, o incêndio começou por volta das 13h40 e ninguém ficou ferido. Os quiosques, que são feitos de palha, foram atingidos pelas chamas em sequência.

Os moradores acionaram os bombeiros às 13h45 e três viaturas foram para o local. Segundo informações da corporação, o fogo se alastrou para vários quiosques que ficam nas proximidades da Rua Argentina.

Pelo menos 11 quiosques localizados na orla da praia ficaram completamente destruídos, informou o Corpo de Bombeiros.

Testemunhas do incêndio contaram que o fogo se propagou rapidamente. "É muita fumaça em meio a um cenário de destruição. Parece guerra. Praticamente todos os quiosques foram queimados. Os trabalhadores estão arrasados com a situação. 

Por volta das 15h, os bombeiros continuavam trabalhando nos quiosques com o objetivo de fazer o rescaldo do local.

O Corpo de Bombeiros deve investigar, nos próximos dias, o que causou o incêndio.

Fonte: G1 Santos/A Tribuna

quarta-feira, 1 de abril de 2015

QUEM ACREDITA NO DEPUTADO CARONINHA?


CÂMARA DE GUARUJÁ AMPLIA INVESTIGAÇÕES SOBRE O CASO MATISSE.

LEVARAM APENAS 4 ANOS PARA DESCOBRIR O QUE NÓS PUBLICAMOS EM 04/12/2000
CÂMARA DE GUARUJÁ AMPLIA INVESTIGAÇÕES SOBRE O CASO MATISSE.



O Plenário da Câmara Municipal de Guarujá aprovou por unanimidade, nesta terça-feira (31/3), o encaminhamento das denúncias relacionadas ao 'Caso Matisse' ao Ministério Público Estadual (MPE), ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e à Advocacia Geral do Munícipio (AGM), assim como a ampliação das investigações feitas desde o ano passado pela Comissão de Fiscalização e Controle da Casa.

A medida foi tomada em consonância com o relatório produzido pela comissão, que desde abril do ano passado vinha reunindo documentos e informações a fim de apurar supostas irregularidades no contrato de prestação de serviços de engenharia, firmado entre a Prefeitura de Guarujá e a Construtora Matisse.

Mesmo após o recebimento de verba definida em contrato, a empreiteira não entregou as obras, que permanecem paralisadas desde então. Várias autoridades, a exemplo do vice-prefeito Duíno Vérri Fernandes e do secretário de Finanças, Armando Palmieri, tiveram de prestar esclarecimentos à comissão, assim como técnicos da Prefeitura e representantes da empresa.

Ainda assim, os vereadores não conseguiram reunir elementos suficientes para embasar uma eventual instauração de comissão processante (a exemplo do caso da merenda), haja visto que nem todas as documentações solicitadas chegaram à comissão.

"Há documentações a serem analisadas e outras, solicitadas", explicou o vereador Edílson Dias (PT), que foi quem presidiu os trabalhos da comissão até o final do ano passado. Ele destaca que há trâmites burocráticos a serem superados, para que as investigações de fato sejam concluídas.

"Há um documento do TCE, por exemplo, que depende de liberação do conselheiro para que seja disponibilizado em cartório. Isso leva tempo".

De toda forma, os indícios e demais informações colhidas até o momento já serão alvo de análise dos órgãos competentes, que posteriormente receberão mais elementos que eventualmente forem apurados, daqui em diante, pela Comissão de Fiscalização e Controle.

"Vamos continuar esse trabalho por mais 90 dias e, ao final, apresentar novo relatório. Dependendo das provas colhidas, será aberta mais uma comissão processante, a exemplo do caso da merenda", disse o vereador Toninho Salgado, que é o atual presidente da comissão.

CÂMARA MUNICIPAL DE GUARUJÁ
Assessoria de Imprensa





PUBLICADO EM 02/12/2013
A POLÍCIA FEDERAL QUE JÁ ESTÁ INVESTIGANDO A TETO CONSTRUÇÕES, PODERIA INVESTIGAR EM GUARUJÁ, AS OBRAS DA TETO CONSTRUÇÕES (PÍER DO PEREQUÊ) E AS DA MATISSE ENGENHARIA (ESCOLAS PÚBLICAS), NÃO É PREFEITA?
PROMOTOR DE JUSTIÇA  DETERMINOU A ABERTURA DE INQUÉRITO POLICIAL PARA APURAR SUPOSTO CRIME DE FALSIDADE DOCUMENTAL COMETIDO PELA EMPRESA TETO CONSTRUÇÕES COMÉRCIO E EMPREENDIMENTOS LTDA.


O promotor de Justiça Sérgio Clementino determinou a abertura de inquérito policial para apurar suposto crime de falsidade documental cometido pela empresa Teto Construções Comércio e Empreendimentos Ltda, responsável pela construção do prédio do novo Fórum em Rio Preto. A empresa apresentou à Prefeitura apólice de seguro falsa no valor de R$ 343,1 mil como garantia da execução do contrato da obra, conforme revelou o Diário no último sábado. 

A irregularidade foi constatada pela Secretaria de Administração em 21 de julho de 2010. O caso só veio à tona agora, seis meses após a descoberta da irregularidade pelo secretário de Administração, Inácio Buzzini de Oliveira. 

A seguradora Mapfre encaminhou ofício à Prefeitura alegando que não havia sido emitida nenhuma apólice de seguro em nome da empresa Teto tendo como segurado o município de Rio Preto. Cópias dos documentos, os quais o Diário teve acesso com exclusividade, serão encaminhados para avaliação da Polícia Civil. 

O pedido da abertura da investigação será encaminhado hoje à delegacia Seccional de Polícia de Rio Preto. Clementino já investiga, por meio de inquérito civil, a contratação da empresa pelo município e a execução da obra. Ontem, a Teto protocolou sua defesa no caso e pediu ao Conselho Superior do Ministério Público a sua exclusão da investigação envolvendo a construção do novo Fórum. 

Clementino disse que o fato da empresa ter apresentado uma nova apólice de seguro, em agosto do ano passado, não modifica a irregularidade constatada anteriormente. “A nova garantia é balela. A Prefeitura e a empresa admitiram que a primeira garantia apresentada era falsa”, afirmou o promotor sobre a possível prática de crime. 

Em sua defesa, a Teto alegou que fez uma nova apólice de seguro no valor de R$ 300 mil junto a corretora Nobre. O documento foi feito em agosto de 2010, após a descoberta da possível fraude indicada pela Executivo. “A Teto alegou na sua defesa que o problema (da primeira garantia) foi devido a burocracia interna da Mapfre”, afirmou Clementino. 

O procurador-geral do município, Luiz Tavolaro, disse que é “vontade” da Prefeitura a abertura de investigação pela polícia. “É nossa vontade que o Ministério Público investigue essa caso. Não rompemos o contrato por causa dos problemas estruturais apontados pela Teto. Nós rompemos o contrato por causa dos constantes atrasos na obra. 

Antes de assumir a obra ela (Teto) vistoriou o local e sabia dos problemas estruturais, que deveriam ser corrigidos”, afirmou Tavolaro. Sem cumprir o prazo para execução do prédio, a Secretaria de Obras indicou à Procuradoria Geral do Município a rescisão do contrato com a aplicação de penalidades previstas na lei 8.666/93 - de licitações - à Teto. 

A empresa, porém, obteve liminar na Justiça derrubando a decisão administrativa do município, que já recorreu ao Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo. De acordo com a defesa da Teto. a empresa fica “feliz” pela decisão da Prefeitura abrir nova licitação para o término da obra. Ela aponta que a previsão de gastos no valor de R$ 3,2 milhões será destinado à recuperação da estrutura do prédio. 

A empresa alega que os problemas apontados por laudo elaborado a pedido da Prefeitura deve-se ao período em que a construção foi conduzida pela construtora Polo. Segundo Tavolaro, a Prefeitura de Rio Preto já gastou R$ 3 milhões dos R$ 10 milhões previstos para erguer a sede do novo Fórum. A obra é feita por meio de convênio entre o município e a Secretaria estadual de Justiça.


TETO TEM SÓCIOS SEDIADOS EM PARAÍSOS FISCAIS
A empresa Teto Construções, Comércio e Empreendimentos Ltda tem como sócias-proprietárias duas empresas constituídas em paraísos fiscais. As empresas Zodiac Pacific S/A com sede no Panamá e a Bariton Enterprises S/A com sede na República de Seychelles, sendo as duas tendo como representante Michel Chedid Júnior, dono da Teto. 

O fato, revelado no domingo pelo Diário, chamou a atenção do promotor de Justiça Sérgio Clementino, que pedirá informações ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em São Paulo especializado em questões envolvendo empresa com sede em paraísos fiscais. 

A descoberta das sócias da empresa Teto constou em documento da Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp) - veja documento ao lado. O fato de a empresa ter seus capital estabelecido no exterior pode inviabilizar qualquer tipo de cobrança ou execução judicial de seus bens. 

REFORÇO
O procurador-geral do município, Luiz Tavolaro, afirmou ontem que a Prefeitura vai tentar evitar a demolição de parte da obra do novo Fórum, localizado no bairro Chácara Municipal. Ao lado do prédio da Receita Federal. 

“Descartamos perder o que já foi construído. Vamos reforçar a fundação do novo Fórum e adequar o projeto de engenharia que já está desatualizado”, afirmou Tavolaro. O procurador disse ainda que o município tenta a todo custo “salvar” a obra.


Fonte: Diário Web

sábado, 28 de março de 2015

PREFEITA DECLARA QUE PREFEITURA DE GUARUJÁ NÃO PODE PAGAR 6 MILHÕES DE PRECATÓRIOS!


PREFEITA DE GUARUJÁ EM ENTREVISTA À TRIBUNA, MOSTRA SUA VEIA DE COMEDIANTE PÚBLICA!
por Manoel Inconfidente Vergara

Olá amigos Inconfidentes, inicialmente gostaria de nos desculpar por estar falhando com nossos leitores, mas infelizmente acometido da famosa "doença silenciosa", não é sempre que consigo atualizar nossas tribunas, mas vamos lá.

Falar o que penso desta senhora, infelizmente as leis e seus advogados pagos com nossos impostos não me permite, afinal a Prefeita Maria Antonieta de Brito (PMDB), saberá quando sair ou for expulsa do governo quanto custa pagar um advogado, no momento ela vem trocando serviços, mas o tempo mostrará.

A Rede Bandeirantes de Televisão sem duvida alguma já tem um substituto ao comediante Rafinha Bastos (Agora é Tarde), que vem anunciando que foi demitido da rede, afinal a Prefeita de Guarujá que nunca teve e não terá um voto da minha família é uma comediante nata.

Declarar ao jornal A Tribuna que a nossa prefeitura não pode pagar cerca de 6 milhões por mês de Precatórios é uma verdadeira piada, de mal gosto por sinal.

Com um orçamento anual de quase 1,3 Bilhões, esta senhora vem mantendo uma IMUNDA folha de comissionados, gafanhotos, que ninguém sabe absolutamente o que fazem realizam, além de defender o governo mais corrupto na história desta cidade pelas Redes Sociais.

Com mais de 570 comissionados, uma folha de pagamentos desta turma estimada em mais de 150 milhões ao ano, a Prefeita de Guarujá deve estar zombando novamente da população e do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Juntando os contratos absurdos da G.P Segurança, Terracom, Stratégia Consultores e alguns da Merenda Escolar, certamente a divida de mais de 500 milhões de Precatórios já estariam pagas há muito tempo.

Nossa sugestão é que a Prefeita de Guarujá administre melhor as multas e fique de olho no seu quintal, afinal comenta-se pelas esquinas da cidade que pessoas próximas a prefeita, estão ganhando muito dinheiro com as irregularidades das Torres de Telefonia Celular na cidade, será verdade?

SUPERFATURAMENTO NA MERENDA ESCOLAR PODERÁ LEVAR A CASSAÇÃO A PREFEITA DE GUARUJÁ!

DUAS COMISSÕES PROCESSANTES APURAM DESVIOS NO EXECUTIVO DE GUARUJÁ
INVESTIGAÇÕES REALIZADAS PELOS PRÓPRIOS VEREADORES TAMBÉM IDENTIFICARAM COMPRAS A PREÇOS BEM ACIMA DOS PRATICADOS NO MERCADO.



O Plenário da Câmara Municipal de Guarujá aprovou na última terça-feira (24), por 9 votos a 6, a formação de comissão processante para apurar responsabilidades no caso que ficou conhecido como 'o escândalo da merenda'.

A medida foi deliberada em consonância com parecer, emitido pela Comissão de Fiscalização e Controle, que investigou o caso durante seis meses e concluiu que há fortes evidências de superfaturamento, fraude, ingerência e omissão por parte de agentes públicos - conforme consta no relatório analisado nesta terça-feira pelos vereadores, e que agora será encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE) e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para municiar possível inquérito criminal a ser aberto contra os gestores responsáveis, entre eles, a secretária de Educação, Priscilla Bonini.

Paralelamente a isso, a comissão processante vai apurar a eventual responsabilidade da chefe do Executivo no caso. O grupo foi formado na mesma sessão em que o relatório foi votado, por meio de sorteio. O vereador Edilson Dias (PT) ficou com a presidência da comissão, tendo como relator o vereador Geraldo Soares Galvão (DEM) e, como membro, o vereador Jailton Sorriso (PPS). Os trabalhos terão duração de 90 dias e, ao final, podem resultar em cassação.

Denunciado em junho, pela ex-presidente do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) do Município, Elizabeth Barbosa, o escândalo veio à tona em depoimento prestado a vereadores da Comissão de Fiscalização e Controle da Casa, quando apontou uma série de irregularidades no contrato de fornecimento de merenda escolar nas unidades de ensino da Cidade - como inferioridade nutricional dos alimentos servidos; o não cumprimento de exigências contidas no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), além do supostos cerceamento do trabalho de fiscalização dos conselheiros.

Investigações realizadas pelos próprios vereadores também identificaram compras a preços bem acima dos praticados no mercado. Entre os que mais chamaram atenção, consta o valor do preço do adoçante dietético líquido (marca Stevita): R$ 24,76 (frasco de 100 ml), sendo que o mesmo produto, no mercado, foi encontrado por R$ 2,10 (o frasco de 100 ml). Ou seja, por preço quase 1.000% menor (mais detalhes na tabela abaixo).

Vereadores também detectaram problemas no fornecimento de carne às escolas. Os vereadores Edílson Dias (PT), Luciano Lopes da Silva, o Luciano China (PMDB) e Givaldo dos Santos Feitoza, o Givaldo do Açougue (PSD) comprovaram que, em pelo menos duas escolas, a carne oferecida na merenda (coxão mole) seria inferior a que foi licitado pela Secretaria de Educação (contrafilé). Eles também encontraram duas peças de carne que deveriam ter 5 quilos, e não tinham.

Vereadores detectaram ainda negligência no recebimento dos alimentos, perdas entre 30% e 50% das frutas e verduras, fragilidade na estrutura das cozinhas das escolas; merendeiras das próprias empresas fornecedoras assinando recebimentos de mercadorias e preços duas ou três mais altos do que os praticados no mercado, com indícios de superfaturamento. O fornecedor também estaria sem contrato, na ocasião.

Entre as disparidades de preço verificadas, as que mais chamam atenção são:


1) O valor do preço da farinha de trigo especial (marca Rosa Branca): R$ 4,50 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 2,10 (o quilo). Ou seja, é 109% menor.

2) O valor do preço o café moído e torrado (marca Pelé): R$ 18,12 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 9,96 (o quilo). Ou seja, é 81,9% menor.
3) O valor do preço do trigo para kibe (marca PQ): R$ 11,88 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 5,00 (o quilo). Ou seja, é 137,6% menor.
4) O valor do preço do adoçante dietético líquido (marca Stevita): R$ 24,76 (frasco de 100 ml), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 2,10 (o frasco de 100 ml). Ou seja, é 1.000% menor.
5) O valor do preço do orégano (pacote 100g): R$ 6,93, sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 2,10 o pacote de 100g. Ou seja, é 230% menor.
6) O valor do preço do frango em cubos: R$ 16,59 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 6,99 (o quilo). Ou seja, é 137% menor.
7) Sucrilhos (da marca Nutrifoods): R$ 18,00 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 8,60 (o quilo). Ou seja, é 109,3% menor.
8) Cereal infantil (da Multicereais): R$ 11,70 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 4,30 (o quilo). Ou seja, é 109% menor.
9) Biscoito salgado tipo cream cracker (da Duchen): R$ 11,00 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 5,50 (o quilo). Ou seja, é 100% menor.
10) Suco de caju (Serigy): R$ 11,00 (o litro), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 4,58 (o litro). Ou seja, é 140% menor.


*Todos os preços tomados como base de comparação, pela Câmara, foram adquiridos em mercados da Cidade e as notas fiscais constam no relatório. Todos os dados referem-se ao ano de 2014.



Fonte: CÂMARA MUNICIPAL DE GUARUJÁ
Assessoria de Imprensa

PELO PSDB, VEM AI FARID MADI EM 2016?

PELO PSDB, VEM AI FARID MADI EM 2016?
APÓS ATROPELAR OS CANDIDATOS DA PREFEITA MARIA DE BRITO (PMDB) NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES, COM A BENÇÃO DAS LIDERANÇAS E DO GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN, SERÁ QUE O EX-PREFEITO ATROPELARÁ A TUDO E A TODOS COM A LOCOMOTIVA DO GOVERNO DO ESTADO?


A PREFEITA DA MELANCIA VAI CAIR MEU POVO?


RIBAMAR BRANDÃO: "PEÃO NO JOGO POLÍTICO OU CAVALO DE TRÓIA?"

DIRETOR RIBAMAR BRANDÃO: "PEÃO NO JOGO POLÍTICO OU CAVALO DE TRÓIA NUM GOVERNO PRA LÁ DE SUSPEITO?"
PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS CAMINHONEIROS QUE UTILIZA UMA ÁREA PÚBLICA, DIRETOR DE PORTOS, A FAMÍLIA PROPRIETÁRIA DE UM CANAL DE TELEVISÃO, ARTICULADOR NA CÂMARA MUNICIPAL E EX-SECRETÁRIO NO GOVERNO FARID MADI E CANDIDATO À PREFEITO PELA OPOSIÇÃO, RIBAMAR BRANDÃO (PSB) É UMA CAMALEÃO POLÍTICO EM GUARUJÁ?


GOVERNO MARIA DE BRITO: "QUEM CONHECE, NÃO CONFIA!"

sexta-feira, 27 de março de 2015

"JÁ PAGARAM O 13º DAS MERENDEIRAS E APURARAM AS DENUNCIAS MINISTÉRIO PÚBLICO E SINTERCUB?"

A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: "JÁ PAGARAM O 13º DAS MERENDEIRAS E APURARAM AS DENUNCIAS MINISTÉRIO PÚBLICO E SINTERCUB?"
PREFEITURA DE GUARUJÁ RENOVA CONTRATO DE MAIS DE 8 MILHÕES DE REAIS QUE LEVOU AS MERENDEIRAS A UMA GREVE POR FALTA DE PAGAMENTO E CONDIÇÕES DE TRABALHO INDEVIDAS EM GUARUJÁ.


GOVERNO MARIA DE BRITO: "QUEM CONHECE, NÃO CONFIA!"

MALVERSAÇÃO DE DINHEIRO PÚBLICO TEM OUTRO NOME NO GOVERNO DO GUARUJÁ, CHAMA-SE OPOSIÇÃO!

MALVERSAÇÃO DE DINHEIRO PÚBLICO TEM OUTRO NOME NO GOVERNO DO GUARUJÁ, CHAMA-SE OPOSIÇÃO AO GOVERNO!
SÃO DEZENAS DE ESCÂNDALOS, ALGUNS AINDA EM INVESTIGAÇÃO COMO AS ESCOLAS DA CONSTRUTORA MATISSE, A COMPRA DO COLÉGIO DOMINGOS DE MORAES, UNIFORMES ESCOLARES QUE NÃO CHEGARAM, LOUSAS DIGITAIS, EVENTOS MILIONÁRIOS, LIVROS DIDÁTICOS, LEGO, REFORMAS DE ESCOLAS, ETC...ETC...ETC...


QUEM SABE SE A PREFEITA FICASSE MAIS NA CIDADE AO INVÉS DE IR PASSEAR EM BRASILIA, OS DESCALABROS COM O DINHEIRO PÚBLICO DIMINUIRIA!

VOTAÇÃO DO ESCÂNDALO DA MERENDA FECHA A CASA DO EDUCADOR!

VOTAÇÃO NA CÂMARA MUNICIPAL DO ESCÂNDALO DA MERENDA PARA APURAR RESPONSABILIDADES, FECHA A CASA DO EDUCADOR!
DEZENAS DE APANIGUADOS QUE DEVERIAM ESTAR TRABALHANDO PELA EDUCAÇÃO DA CIDADE, COMPARECEM À CÂMARA MUNICIPAL PARA PRESSIONAR OS VEREADORES. MAS NINGUÉM DESSA TURMA QUER FISCALIZAR A MERENDA DAS CRIANÇAS NAS ESCOLAS.


GOVERNO MARIA DE BRITO: "QUEM CONHECE, NÃO CONFIA!"

quinta-feira, 26 de março de 2015

QUEM ACREDITA NA CÂMARA MUNICIPAL DE GUARUJÁ?

QUEM ACREDITA NA CÂMARA DE GUARUJÁ?
A RECENTE HISTÓRIA NOS ÚLTIMOS SEIS ANOS MOSTRA QUE NOSSOS POLÍTICOS NÃO ESTÃO PREOCUPADOS COM A POPULAÇÃO E SIM COM SEUS INTERESSES. VAMOS AGUARDAR, MAS APOSTAMOS PELA NÃO CASSAÇÃO DA PREFEITA DE GUARUJÁ E TEREMOS MAIS DOIS ANOS DE ABSURDOS NOS CONTRATOS E COMPRAS!


GOVERNO MARIA DE BRITO: "QUEM CONHECE, NÃO CONFIA!"

TCE SOLICITA À CÂMARA À APURAÇÃO DAS IRREGULARIDADES NA CONTRATAÇÃO DA STRATÉGIA CONSULTORES!

TRIBUNAL DE CONTAS SOLICITA À CÂMARA DE GUARUJÁ À APURAÇÃO DAS IRREGULARIDADES NA CONTRATAÇÃO DA STRATÉGIA CONSULTORES!
“OS ARGUMENTOS APRESENTADOS PELOS INTERESSADOS NÃO FORAM CAPAZES DE AFASTAR OS QUESTIONAMENTOS SUSCITADOS NOS AUTOS, NÃO RESTANDO DEMONSTRADO, NO PRESENTE CASO, A INVIABILIDADE DE COMPETIÇÃO QUE JUSTIFICARIA A CONTRATAÇÃO DIRETA POR INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO.”











MERENDA DE GUARUJÁ VIRA ALVO DE CASSAÇÃO NA CÂMARA DE GUARUJÁ.

MERENDA DE GUARUJÁ VIRA ALVO DE COMISSÃO PROCESSANTE NA CÂMARA.
PREFEITA ANTONIETA ALEGA DECISÃO POLÍTICA E ACUSA OPOSIÇÃO EM COLETIVA À IMPRENSA


A Câmara de Guarujá aprovou ontem, por nove votos a seis, a formação de uma comissão processante para avaliar possível infração político-administrativa da prefeita Maria Antonieta de Brito (PMDB) no caso conhecido como ‘Escândalo da Merenda’. A decisão ocorreu após a leitura de um relatório conclusivo da Comissão de Fiscalização e Controle da Casa, presidida pelo vereador oposicionista Edilson Dias (PT), sorteado como presidente da comissão, composta ainda pelos vereadores Geraldo Soares Galvão (DEM e relator) e Jailton Reis dos Santos, o Sorriso (PPS).

O processo pode desencadear o impeachment da chefe do Executivo. O caso ficou conhecido em junho do ano passado, por intermédio de denúncia feita pela ex-presidente do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) do Município, Elizabeth Barbosa. A maioria dos vereadores entendeu como procedentes as denúncias e aprovou o encaminhamento de ofícios com depoimentos e documentação aos ministérios públicos estadual e federal; Polícia Federal, Tribunal de Contas e outros órgãos. Há possibilidade dos documentos municiarem um possível inquérito criminal contra os gestores responsáveis, entre eles, a secretária de Educação Priscilla Bonini.

Ano passado, a ex-presidente do CAE apontou uma série de irregularidades no contrato de fornecimento de merenda escolar nas unidades de ensino da Cidade, como inferioridade nutricional dos alimentos servidos; o não cumprimento de exigências contidas no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), além de suposto cerceamento do trabalho de fiscalização dos conselheiros.

Investigações que duraram um ano, realizadas pelos próprios vereadores, também identificaram compras a preços bem acima dos praticados no mercado. Entre os que mais chamaram atenção, consta o valor do preço do adoçante dietético líquido (marca Stevita): R$ 24,76 (frasco de 100 ml), sendo que o mesmo produto, no mercado, foi encontrado por R$ 2,10.

De carne à melancia

Vereadores também detectaram problemas no fornecimento de carne às escolas. Edilson Dias (PT), Luciano Lopes da Silva, o Luciano China (PMDB) e Givaldo dos Santos Feitoza, o Givaldo do Açougue (PSD) comprovaram que, em pelo menos duas escolas, a carne oferecida na merenda (coxão mole) seria inferior à que foi licitada pela Secretaria de Educação (contrafilé). Eles também encontraram duas peças de carne que deveriam ter cinco quilos e não tinham.

Houve denúncia com relação à compra de melancia por R$ 30,60 o quilo, quando no mercado o valor máximo era de R$ 8,00. Também de negligência no recebimento dos alimentos, perdas entre 30% e 50% das frutas e verduras, fragilidade na estrutura das cozinhas das escolas; merendeiras das próprias empresas fornecedoras assinando recebimentos de mercadorias.

Vereadores

A Reportagem conversou com alguns vereadores logo após a votação. “Fiquei surpreso com a votação. Até a pouco tempo eu era o único oposicionista. A pressão do Governo foi grande, mas a qualidade das provas, dos depoimentos, as gravações e outras provas geraram um processo de 800 páginas. Confirmamos todas as denúncias”, disse Edilson Dias.

O vereador Gilberto Benzi (Pros) também se mostrou entusiasmado com a votação. “Foi tenso. Essa denúncia vinha sendo investigada por 12 meses. Há fatos concretos e foi praticamente impossível não abrir comissão processante”. Ao saber da coletiva, o vereador completou: “Não foi uma decisão política, foi técnica”, garantiu.

O presidente da Câmara, vereador Ronald Nicolaci Fincatti (Pros) afirmou: “Constatamos preços absurdos. Esta casa sempre votou a favor da Administração. Porém, desta vez, os fatos são graves. O resultado não poderia ser diferente”, finalizou.

Fonte: Jornal Diário do Litoral


PRAIAS DO GUARUJÁ CONTINUAM SENDO CONTAMINADAS COM RESÍDUOS DA DRAGAGEM DO PORTO DE SANTOS.

OS INCONFIDENTES FIZERAM A DENUNCIA EM 2013, AGORA CHEGA A TV!
PRAIA DO TOMBO E GUAIUBA CONTINUAM SENDO CONTAMINADAS COM RESÍDUOS DA DRAGAGEM DO PORTO DE SANTOS. CETESB E AUTORIDADES FECHAM OS OLHOS E NOSSAS PRAIAS PODEM VIRAR UM LIXÃO CONTAMINADO.




PUBLICADO EM 10/05/2013
DRAGAGEM DO PORTO ESTÁ ACABANDO COM AS PRAIAS DE GUARUJÁ!
GRAVES DENUNCIAS CIRCULARAM NA INTERNET SOBRE O DESPEJO DE RESÍDUOS MUITO PRÓXIMO AS PRAIAS DE GUARUJÁ. NINGUÉM APUROU, A IMPRENSA NÃO FALOU, MAS A SABEDORIA DOS PESCADORES DOCUMENTOU!



QUEM SABE TEREMOS UM DIA UM SECRETÁRIO DE MEIO-AMBIENTE COMPROMETIDO COM A NOSSA CIDADE E MORADOR NA ILHA DE SANTO AMARO!

ENTENDAM O CASO DO ESCÂNDALO DA MERENDA ESCOLAR EM GUARUJÁ!

RELATÓRIO SOBRE “ESCÂNDALO DA MERENDA” É VOTADO NA TERÇA-FEIRA EM GUARUJÁ.
INVESTIGAÇÕES REALIZADAS PELOS PRÓPRIOS VEREADORES TAMBÉM IDENTIFICARAM COMPRAS A PREÇOS BEM ACIMA DOS PRATICADOS NO MERCADO.


O Plenário da Câmara Municipal de Guarujá vota, na terça-feira (24), o relatório conclusivo sobre o caso que ficou conhecido como “escândalo da merenda”, denunciado em junho, pela ex-presidente do Conselho de Alimentação Escolar (CAE) do Município, Elizabeth Barbosa.

Se a maioria dos vereadores entender como procedente as denúncias, depoimentos e documentações reunidas, elas serão encaminhadas ao Ministério Público Estadual (MPE) para municiar inquérito criminal a ser aberto contra os gestores responsáveis, entre eles, a secretária de Educação, Priscilla Bonini. 

Entenda o caso 

Em depoimento prestado a vereadores da Comissão de Fiscalização e Controle da Casa, a ex-presidente do CAE apontou uma série de irregularidades no contrato de fornecimento de merenda escolar nas unidades de ensino da Cidade, como inferioridade nutricional dos alimentos servidos; o não cumprimento de exigências contidas no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), além do supostos cerceamento do trabalho de fiscalização dos conselheiros. 

Investigações realizadas pelos próprios vereadores também identificaram compras a preços bem acima dos praticados no mercado. Entre os que mais chamaram atenção, consta o valor do preço do adocante dietético líquido (marca Stevita): R$ 24,76 (frasco de 100 ml), sendo que o mesmo produto, no mercado, foi encontrado por R$ 2,10 (o frasco de 100 ml). Ou seja, por preço 1.000% menor (mais detalhes na tabela abaixo). 

Vereadores também detectaram problemas no fornecimento de carne às escolas. Os vereadores Edilson Dias (PT), Luciano Lopes da Silva, o Luciano China (PMDB) e Givaldo dos Santos Feitoza, o Givaldo do Açougue (PSD) comprovaram que, em pelo menos duas escolas, a carne oferecida na merenda (coxão mole) seria inferior a que foi licitado pela Secretaria de Educação (contrafilé). Eles também encontraram duas peças de carne que deveriam ter 5 quilos, e não tinham. 

Vereadores detectaram ainda negligência no recebimento dos alimentos, perdas entre 30% e 50% das frutas e verduras, fragilidade na estrutura das cozinhas das escolas; merendeiras das próprias empresas fornecedoras assinando recebimentos de mercadorias e preços duas ou três mais altos do que os praticados no mercado, com indícios de superfaturamento. O fornecedor também estaria sem contrato, na ocasião. 

Prefeitura

Na época das denúncias, a Coordenação da Merenda do Município afirmou que nenhuma carne com problema de especificação foi servida aos alunos e que a merenda servida atende acima do que é exigido pela resolução do Plano Nacional de Alimentação Escolar. Informou que as denúncias realizadas pelo CAE foram esclarecidas demonstrando que não havia nenhuma irregularidade. Com relação aos vereadores, a Prefeitura os denunciou por abuso de poder, mas o Ministério Público não identificou qualquer problema no procedimento.    

Segundo informações da Prefeitura, a Seduc atende 126 unidades entre rede municipal, estadual e conveniadas. “As escolas encaminham relatório de controle de estoque elencando estocáveis, hortifrúti, carnes e outros gêneros alimentícios, cujo documento segue para a Coordenação de Merenda Escolar”. 

Ainda segundo a Seduc, após estes trâmites, as nutricionistas fazem os pedidos para todas as unidades de acordo com a sugestão de cardápio. “Vale ressaltar que o cardápio pode sofrer alterações levando em consideração fatores climáticos que atingem alguns tipos de hortifrúti”, comenta. A Secretaria afirma ainda que todas as escolas possuem local e equipamentos adequados para armazenamento e conservação dos produtos. 

O setor responsável pela alimentação dos alunos do Município é a Coordenação de Merenda Escolar, subordinado à Diretoria de Gestão Administrativa e Logística da Seduc. Para o atendimento da merenda escolar foram feitos contratos para o fornecimento de mão-de-obra para preparo e distribuição da merenda, contrato para fornecimento de gás de cozinha e contratos para fornecimento de vários gêneros alimentícios. “Todas as ações referentes à merenda escolar atendem o exposto na resolução 26/2013 do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o que resulta em uma alimentação adequada e de qualidade”, garante a Prefeitura.

Em 2013, Guarujá investiu R$ 19.318.967,87, com a aquisição de gêneros alimentícios. Atualmente, a Prefeitura oferece 70 mil refeições diárias, o que representa R$1,38 por aluno/dia. 

Para a Câmara, entre as disparidades de preço verificadas, as que mais chamam atenção são: 

1) O valor do preço da farinha de trigo especial (marca Rosa Branca): R$ 4,50 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 2,10 (o quilo). Ou seja, é 109% menor. 

2) O valor do preço o café moído e torrado (marca Pelé): R$ 18,12 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 9,96 (o quilo). Ou seja, é 81,9% menor. 

3) O valor do preço do trigo para kibe (marca PQ): R$ 11,88 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 5,00 (o quilo). Ou seja, é 137,6% menor. 

4) O valor do preço do adoçante dietético líquido (marca Stevita): R$ 24,76 (frasco de 100 ml), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 2,10 (o frasco de 100 ml). Ou seja, é 1.000% menor. 

5) O valor do preço do orégano (pacote 100g): R$ 6,93 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 2,10 o pacote de 100g). Ou seja, é 230% menor. 

6) O valor do preço do frango em cubos: R$ 16,59 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 6,99 (o quilo). Ou seja, é 137% menor. 

7) Sucrilhos (da marca Nutrifoods): R$ 18,00 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 8,60 (o quilo). Ou seja, é 109,3% menor. 

8) Cereal infantil (da Multicereais):  R$ 11,70 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 4,30 (o quilo). Ou seja, é 109% menor. 

9) Biscoito salgado tipo cream cracker (da Duchen): R$ 11,00 (o quilo), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 5,50 (o quilo). Ou seja, é 100% menor. 

10) Suco de caju (Serigy): R$ 11,00 (o litro), sendo que o mesmo produto, no mercado, custa R$ 4,58 (o litro). Ou seja, é 140% menor. 

Todos os preços citados foram tomados como base de comparação, pela Câmara, foram adquiridos em mercados da Cidade e as notas fiscais constam no relatório. Todos os dados referem-se ao ano de 2014.

Fontes: A Tribuna On-Line/Jornal O Itapema

DEPUTADO BETO MANSUR (PRB), QUE TAL DEVOLVER R$93 MIL AOS COFRES PÚBLICOS?

QUE TAL R$93 MIL DE VOLTA AOS COFRES PÚBLICOS, DEPUTADO BETO MANSUR?
DEPUTADO MANSUR ENTROU PARA O SEU QUINTO MANDATO COMO DEPUTADO FEDERAL. EMPRESÁRIO SANTISTA NO RAMO DE COMUNICAÇÕES, MANSUR REALIZOU EM SEU ÚLTIMO MANDATO, UM GASTO DE R$95 MIL APENAS COM A DIVULGAÇÃO DA ATIVIDADE PARLAMENTAR.


O dia 15 de março foi realmente muito marcante para a sociedade brasileira. Mais de um milhão de pessoas foram às ruas protestar contra o atual cenário político brasileiro. Não foi importante apenas porque ninguém recebeu R$ 35,00 ou R$ 50,00 e um pão com mortadela para compor as marchas, mas porque a força da comunicação fácil e instantânea está unindo pessoas e contribuindo para o amadurecimento da nossa democracia.

Porém, todos nós devemos saber que manifestar nas ruas não é o suficiente. Os gastos públicos devem ser fiscalizados por esta mesma sociedade e as denúncias devem ser enviadas aos órgãos competentes, para que tenhamos de volta aos cofres públicos o dinheiro de todos nós indevidamente utilizado.

E é justamente neste ponto que a OPS – Operação Política Supervisionada – tem trabalhado.

Hoje, estamos publicando mais uma denúncia, envolvendo o uso indevido do dinheiro público, e também a solução para que ele volte aos cofres da Câmara Federal.

O deputado Beto Mansur entrou para o seu quinto mandato como deputado federal. Empresário santista no ramo de comunicações, Mansur realizou em seu último mandato, um gasto de R$95 mil apenas com a Divulgação da Atividade Parlamentar.

Apesar de ser um valor considerável, este gasto representa apenas 7% dos R$ 1,374 milhão do total utilizado por ele da CEAP (Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar).

Desses R$95 mil, R$93 mil foram para uma única empresa, a gráfica PrintMais, que funciona na RUA CAMPOS MELLO, 201, VILA MATIAS, SANTOS-SP. A empresa foi contratada pelo parlamentar para confeccionar 500 mil folderes.

O valor é alto e a quantidade de material é assustadora, porém, tudo isso é uma prerrogativa de cada um dos 513 deputados federais.
Detalhe (atualizado em 19/03/15 às 15:00)

Tudo estaria dentro da legalidade se não fosse um pequeno detalhe que muitas vezes passa desapercebido.

A nota fiscal desta despesa foi cancelada dias depois de sua emissão. O cancelamento de notas fiscais as tornam inutilizáveis e seu uso pode ser considerado pela justiça como crime de Peculado (Art. 312 CP).

Você deve estar se perguntando:

- Mas o deputado não é vítima da empresa?

Sim. Pode ser que seja. Mas isso não tira dele a responsabilidade sobre a nota que foi integralmente paga a ele como forma de ressarcimento de despesa. O conjunto de regras que regulamenta o uso do dinheiro público da CEAP é o Ato da Mesa 43/2009, e em seu 4º parágrafo está escrito:

"A solicitação de reembolso será efetuada mediante requerimento padrão, assinado pelo parlamentar, que, nesse ato, declarará assumir inteira responsabilidade pela liquidação da despesa, atestando que:

    I - o material foi recebido ou o serviço, prestado;
    II - o objeto do gasto obedece aos limites estabelecidos na legislação;
    III - a documentação apresentada é autêntica e legítima."

Portanto, não resta nenhuma dúvida de que o deputado, Beto Mansur, deverá arcar com o prejuízo, visto que ele é o único responsável pela nota apresentada e devidamente paga por todos nós, contribuintes, via Câmara Federal.

No ano passado, tivemos um caso similar envolvendo o deputado Pastor Marco Feliciano. Em apenas 72h, após fazermos a denúncia, ele devolveu quase 23 mil reais aos cofres da Câmara, depois que identificamos uma nota fiscal cancelada, apresentada por ele, e que também foi objeto de ressarcimento de despesa.

É bem possível que o deputado não saiba deste cancelamento, mas isso não pode ser argumento para que a sociedade brasileira pague mais esta conta indevidamente.

Como forma de tentar reaver este considerável valor aos cofres públicos, a OPS iniciou um “emailzaço” que consiste em solicitar ao parlamentar a devolução deste valor. Se você quer ajudar nesta ação, assista ao vídeo abaixo e saiba como fazer.